BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quarta-feira, 11 de junho de 2008

O PH Feminino

Já é a terceira vez que eu mudo o meu tema da semana... mas dessa vez vai!

Mulheres Acídas e Mulheres Básicas... Sabe que o Vinícius de Moraes escreveu uma crônica chamada Química Orgânica, e nessa crônica o autor denomina as mulheres em ácidas ou básicas. Eu tinha entendido por minha conta em risco, eu errei feio, eu acreditava que era ruim ser uma mulher ácida e com ser básica, que as ácidas eram mais difíceis de engolir e tal e que as básicas eram as mulheres mais normaiszinhas e que isso era bom, digo que eu errei e errei feio, e está aí um bom motivo: eu não entendia nada de química orgânica, eu nem sabia o que era ácido e básico, se você sair do conceito que eu tinha eu estava certo, mas quando a química orgânica chega a você é hora de grita: - “Eu sou um burro!” e me desculpem as meninas que eu julguei básicas ou ácidas. Estou me redimindo e no fim eu explico onde vocês se encaixam.

Antes de continuar leia a crônica do Vinicius de Moraes:

"Há mulheres altas e mulheres baixas; mulheres bonitas e mulheres feias; mulheres gordas e mulheres magras; mulheres caseiras e mulheres rueiras; mulheres fecundas e mulheres estéreis; mulheres primíparas e mulheres multíparas; mulheres extrovertidas e mulheres inconsúteis; mulheres homófagas e mulheres inapetentes; mulheres suaves e mulheres wagnerianas; mulheres simples e mulheres fatais - mulheres de toda sorte e toda sorte de mulheres no nosso mundo de homens. Mas, do que pouca gente sabe é que há duas categorias antagônicas de mulheres cujo conhecimento é da maior utilidade, de vez que pode ser determinante na relação desses dois sexos que eu, num dia feliz, chamei de "inimigos inseparáveis". São as mulheres "ácidas" e as mulheres "'básicas", qualificação esta tirada à designação coletiva de compostos químicos que, no primeiro caso, são hidrogenados, de sabor azedo; e no segundo, resultam da união dos óxidos com a água e devolvem à tintura do tornassol, previamente avermelhada pelos ácidos, sua primitiva cor azul. Darei exemplos para evitar que os ínscios e levianos, ao se deixarem levar pela mania de classificar, que às vezes resulta de uma teoria paracientífica, cometam injustiças irreparáveis. Pois a verdade é que mulheres que podem parecer em princípio "ácidas", como as louras (conf. com a expressão corrente: "branca azeda" etc.), podem apresentar tipos da maior basicidade. Não é possível haver mulher mais "básica" que Marilyn Monroe, por exemplo, enquanto que Grace Kelly, que muita gente pode tomar por "básica", é a mulher mais cítrica dos dias que correm. Podia-se fazer com Grace Kelly a maior limonada de todos os tempos, e nem todo o açúcar de Cuba seria capaz de adoçá-lo. De um modo geral, a mulher "ácida" é sempre bela, surpreendente mesmo de beleza. É como se a Natureza, em sua eterna sabedoria, procurasse corrigir essa hidrogenação excessiva com predicados que a façam perdoar, senão esquecer pelos homens. Porque uma coisa eu vos digo: é preciso muito conhecimento de química orgânica para poder distinguir uma "básica" ou uma "ácida" pela cara. A mulher "ácida" tem uma consciência intuitiva da sua química, e não é incomum vê-la querer passar por "básica" graças ao uso de maquilagem apropriada e outros disfarces próprios à categoria inimiga. Como um homem prevenido vale por dois, dou aqui, por alto, noções geográficas e fisiológicas dos dois tipos, de modo que não chupe tamarindo aquele que gosta de manga, e vice-versa. A "vol d'oiseau" se pode dizer que as regiões escandinavas, certas regiões balcânicas e a América do Norte são infestadas de mulheres "ácidas", no caso da América, sobretudo o Sul e Middlewest, onde há predominância do tipo "one hundred per cent American". Ingrid Bergman é uma "ácida escandinava" típica e é preciso ir procurar uma Greta Garbo para achar a famosa exceção comum a toda regra. As ilhas Britânicas em si não são "ácidas"; mas há que ter cuidado com certas regiões da Escócia e da Irlanda, onde o limão corre solto. Na França, com exceção de Paris e Île-de-France, e naturalmente de Côte d'Azur, reina uma certa acidez, sobretudo na Bretanha, Alsácia e Normandia. A Itália é "básica", tirando, talvez, o Veneto e a Sicília. Os Países Baixos são o que há de mais "ácido", Flandres ainda mais que a região flamenga. A Alemanha é a base do araque. Há, aí, que ir mais pelo padrão psicofisiológico que pelo geográfico. Desconfie-se, em princípio, de mulheres com muita sarda ou "tache-de-rosseur". Há exceções, é claro, mas vejam só Betty Davis, que é de dar dor na dentina. É bom também andar um pouco precavido com mulheres, louras ou morenas, levemente dentuças. Acidez quase certa. Felizmente, a grande maioria é constituída de "básicas", para bem de todos e felicidade geral da nação. Sobretudo no Brasil, felizmente liberto, desde alguns meses , da sua "ácida número um"- aliás de outras pragas, diga-se, o peito inchado do mais justo orgulho nacional."
.
(Vinícius de Moraes)

Tenho que concordar que lendo uma segunda vez, não há luz que me venha. Tenho que concordar que li uma terceira e uma quarta. Nenhuma luz! Mas hoje na aula de Química da professora Aline eu enfim comecei a entender mais de química, e menos de mulheres:

Acompanhe o raciocínio da química sobre básicas e ácidas.

1 – Super Ultra Mega Hyper Ácida
2 – Super Ultra Mega Ácida
3 – Super Ultra Ácida
4 – Super Ácida
5 – Ácida
6 – Quase Ácida
7 – PH Neutro
8 – Quase Básica
9 – Básica
10 – Super Básica
11 – Super Ultra Básica
12 – Super Ultra Mega Básica
13 – Super Ultra Mega Hyper Básica
14 – Super Ultra Mega Hyper Blaster Básica



Aí vai aquela, é bom ou ruim ser básica? É bom ou ruim ser ácida? Nem uma e nem outra.

A Coca-Cola tem um PH numero entre 2 e 3 (de acordo com a professora), sabe aquela coisa que te bate no estômago e te faz (ürgh) é o PH dela é abaixo de sete saiba disso.

E o caju? Ele é lá pelo dez e é isso o que ocorre quando o PH é muito básico, ele fica marrento como um caju.

O ideal de uma mulher mulher é ter seu PH interno Neutro, assim como a água.

Agora que tem homem que é mais chegadinho em uma ácida, ou mesmo em uma básica isso tem... para isso eu digo “há um sabor para cada fruta, Há um PH pra cada gosto” se todas as mulheres fossem PH neutro, o que seria dos homens que gostam de tamarindo? E dos que gostam de manga? Iam todos beber água? Não! Viva a diversidade do PH!

--------------------------------------------------

Entenda mais de PH clicando aqui.

E mais de Vinícius de moraes clicando aqui:
http://www.viniciusdemoraes.com.br/, vale muito a pena, e sinceramente, leia Vinicius, o cara sabia o que falava...

E se quiser entender uma mulher, é melhor frequentar salão de cabeleleiro, escutar conversa atrás da porta do banheiro feminino, ler revistas de fofocas, usar um salto Luís XV, uma meia fina... e sei lá, virar mulher, pois só mulher entende outra mulher, não adianta tentar!

4 comentários:

Pan disse...

É por isso que vc não entende de mulher,mas vc chega lá xD
E deixe créditos a professora aline,afinal,uma aula de química bem explicadinha rende um texto hein xD
UAHSAuhsuaHSUAhsuaHSUAhsuaHSUAhsuaHSUAhsuaHSUAhsuaHSUAhsuahsuaHa
...

PamYs disse...

concordo

podem tentar descubrir como somos se somos básicas ou ácidas de digo uma coisa, somos mulheres podemos ser o que queremos, afinal até hoje num conseguem.

Só nos mesmas pra entender der! mas adoreiiiiii mesmo, verdade acho q vc entende bem isso sim! xD fiko ótema, mas complicadinhu esse vinicios em hsuahsuash

B. disse...

Argh, que coisa mais sem sal mulher neutra.
As pessoas acreditam que eu seja ácida, mas até que eu sou basiquinha...
E olha que de química eu entendo.

B. disse...

E acho que pra entender as mulheres precisa muito mais do que ser uma femme. Eu não entendo as mulheres. Aliás, eu nem sequer me entendo...